Cris Lobo, cantora, compositora e guitarrista carioca, começou muito nova quando já revelava seu interesse por música.

 

Aos 12 anos, influenciada por diversas bandas e trabalhos do rock internacional já escrevia algumas letras e compunha algumas canções. Ter uma banda fixa e amadurecer o seu trabalho sempre foi um objetivo.

 

Gravou seu primeiro álbum em 2000 com a banda Tripper. Em 2001, por sugestão do baixista e guitarrista, passou o trabalho para o seu próprio nome e como solista gravou o EP “Jogos de Vertigem”. Em 2004, veio o CD “Califonia” e em 2009, outro EP - “Força e Trabalho”. Em 2013, novamente um álbum full - “Cada um com sua história”.

 

Estes CDs renderam algumas apresentações pelo Rio de Janeiro em locais como o Teatro Odisséia, Espaço Cultural Constituição, Garage, Meli Melo, Mistura Fina, Teatro Ziembinsky, SESC, Big Ben, Baratos do Ribeiro, Blues & Beer, Néctar, Casarão Amarelo, Espírito das Artes, Sister Moon, Tá na Rua, e várias outras casas que abrem suas portas para que bandas independentes apresentem seus trabalhos.

 

Participou, ainda, de alguns programas independentes na televisão, como o extinto “Atitude.com” e rádio como “Jone Brabo Show” e “A vez do Brasil” da Rádio Cidade, tocando atualmente na programação regular da Rádio Oceânica – 105,9.

Contou ainda com o apoio do projeto "Tributo ao Inédito- volume III" apresentando 2 faixas em uma coletânea que reuniu mais 5 bandas independentes.

 

Em 2018, lança seu novo trabalho: “A Mágica da Vida” com 14 faixas. Esse álbum traz algumas novidades como a reunião de outros instrumentos que até então não tinham aparecido nos álbuns anteriores, como saxofone, violino e piano, formando, assim,  o que ela chama de “A Banda dos Sonhos”.